Steve Angello nunca foi uma pessoa convencional, nem como artista nem como individualidade. E o lançamento de Human é uma prova disso mesmo!

O seu novo álbum ‘HUMAN’ foi feito inteiramente na Suécia, sendo o primeiro que cria no seu país, depois de mais de uma década a viver no estrangeiro.

Este álbum segue o seu processo de encontrar paz interior e vai de encontro à sua visão renovada sobre temas como a religião e a espiritualidade, depois de encontrar uma igreja na Suécia e de se sentar lá todos os dias, depois da sua rotina de levar as suas filhas à escola.

Em ‘HUMAN’ Steve deixa o convencional de lado e segue os seus próprios desejos e maneiras de lidar com a música criando um álbum dividido em três partes: Genesis, Inferno e Paradiso, recheado de batidas lentas e de sons sintetizados com um toque, aqui e ali, do som progressivo a que já nos habituou.

Genesis marca a primeira parte do álbum, com músicas épicas e emocionais, contando com as já conhecidas “Rejoice” e “Breaking Kind” e uma colaboração com os Highly Sedated em “Flashing Lights”.

Inferno baixa o ritmo e é definitivamente mais “obscuro” e mais agressivo com as músicas presentes no EP Inferno I Know” e “Freedom“.

A última parte, Paradiso, é composta por músicas com mais batida, baixos mais fortes e novamente mais emocionais juntando alguns dos trabalhos mais conhecidos por parte de Steve nos últimos tempos, “Dopamine”, “Break Me Down” e terminando com “Nothing Scares Me Anymore”.

Em ‘HUMAN’ assistimos ao regresso de Steve Angello e à sua reinvenção como artista e como produtor e a melhor maneira de ouvir este álbum é, como o próprio diz, “sentar-se no carro, guiar e apreciar este renascimento no formato de 21 músicas.”

About The Author

Staff

All of the article posted with this account are written by contributes and guest writers, If you wish to see your article featured email us at info@widefuture.com with the header "Guest Writer"

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.