Introdução

Existem músicas que se tratam apenas de instant classics, e depois temos as que nunca cairão no esquecimento. Este artigo é dedicado às últimas. Neste caso, especificamente do início do milénio. Sou o Tomás Matos da Wide Future, e estou a convidar-te para uma pequena viagem pelo passado. Antes da descolagem, há duas premissas que é necessário reter: primeiro – o verbo “lembrar” vai ser repetidamente badalado – e segundo – isto não se trata de um top, as faixas estão apresentadas por ordem alfabética. Vamos lá!

Benny Benassi – Satisfaction – 2002

Push me, and then just touch me, ‘till I can get my… Satisfaction. É difícil falar em electro house sem mencionar esta faixa. A sua memorável melodia e os vocais sintetizados invadem, e continuam a invadir pistas de danças de todo o mundo.

Foi o single de estreia do DJ e produtor italiano Benny Benassi, tendo sido lançada no verão de 2002. Pertence ao também estreante álbum de Benassi “Hypnotica”. Esta malha projetou a carreira do italiano, hoje com 50 anos, e, na altura, atingiu a segunda posição nas charts do Reino Unido.

Daft Punk – One More Time – 2001

E quem não conhece esta? Lançada em 2001, é por muitos considerada a melhor faixa de eletrónica de todos os tempos. Trata-se do lead single da obra-prima mais aclamada dos Daft Punk, o álbum “Discovery”, que deu a conhecer ao mundo hinos como “Harder, Better, Faster, Stronger” e “Digital Love”.

Os vocais sintetizados do cantor norte-americano Romanthony e a sua fantástica melodia, fizeram da track um sucesso intemporal, que catapultou o duo francês para o estrelato. Ouçam-na One More Time, vá.

Darude – Sandstorm – 2000

Para os nossos leitores mais jovens, esta é um meme da internet. Contudo, os mais aficionados bem conhecem o impacto que esta faixa teve no início da primeira década do milénio. Lançada em 2000, da autoria do finlandês Darude, faz parte do seu álbum de estreia “Before The Storm”, e fez mossa nas charts europeias.

Considerara um autêntico hino do trance, vendeu milhões de cópias na altura, e, mais recentemente, ficou célebre devido a um irritante meme da comunidade de gaming online. A faixa, em pleno 2015, tornou-se tão viral que DJs começaram a incluí-la nos seus respetivos sets em festivais de renome. O holandês Mark Sixma até fez um remix “moderno” da faixa que fez um considerável furor. Numa também recente entrevista, Darude revelou que nunca presenciou realmente uma tempestade de areia, o que é um facto no mínimo curioso.

Eric Prydz – Call On Me – 2004

Quem se lembra desta? 2004 foi o ano de “descolagem” para o DJ e produtor sueco Eric Prydz. Foi esta a faixa que o popularizou, e apesar do distanciamento de Prydz dela (deixou de a tocar nos seus sets) marcou indubitavelmente a sua ilustre carreira.

Toda a canção se constrói à volta de uma sample de “Valerie”, de Steve Winwood, do ano de 1982. Quando o próprio Winwood ouviu o que Prydz fez de forma criativa, voltou a gravar a sample só para assentarem melhor no instrumental. Porém, não foi só o trabalho musical em si que celebrizou a faixa. O videoclip, que consiste numa aula de aeróbica, contribuiu em grande parte para o sucesso da obra.

Modjo – Lady (Hear Me Tonight) – 2000

Este épico tema foi o single de estreia do duo francês Modjo, que samplaram a faixa “Soup For One”, dos Chic, cujo guitarrista era, e ainda é nos tempos que correm, o lendário Nile Rodgers.

Fez muito sucesso e atingiu o top 10 nas charts em mais de dez nações. Contudo, os Modjo não aproveitaram tal sucesso. Lançaram mais uns quantos singles pouco mediáticos até 2002, e depois separaram-se para seguirem projetos a solo.

Rui da Silva feat. Cassandra – Touch Me – 2001

Esta é fenomenal. Lançada no dia 1 de janeiro de 2001, pelo DJ e produtor português Rui da Silva, com os vocais da cantora britânica Cassandra Fox, esta faixa tornou-se também num hit intemporal. Se és da geração de ’80, muito provavelmente a ouviste na adolescência. E se és português, de certeza que te lembras dos Underground Sound Of Lisbon, o lendário duo constituído por Rui da Silva e DJ Vibe.

Este single atingiu a posição número 1 nas charts do Reino Unido, vendendo mais de 300.000 cópias. É indubitavelmente o maior hit de Da Silva, que até aos dias de hoje, se trata do único artista português a atingir o #1 de vendas por terras de sua majestade. Muitos consideram “Touch Me” a melhor faixa eletrónica de sempre.

Safri Duo – Played-A-Live (The Bongo Song) – 2001

Esta certamente traz recordações. Um sensacional tema trance concebido pelo duo de percussão dinamarquês Safri Duo. Foi lançado no sétimo álbum de estúdio dos escandinavos, “Episode II”, e ficou popular entre as hostes europeias e globais, atingindo a primeira posição em algumas delas.

Devido a “Played-A-Live”, o álbum “Episode II” vendeu mais de um milhão de unidades, o que fez dos Safri Duo o artista/ato mais badalado da Dinamarca desde a banda Aqua (sim, os tipos de “Barbie Girl”). A fusão de percussões tribais com uma melodia trancy colocou esta faixa, a “bongo song”, no “museu” dos grandes hits da dance scene.

Tiësto – Lethal Industry – 2001

Não podíamos terminar a lista sem o icónico Tiësto. O astro holandês, agora com 48 anos de idade, ainda hoje está em voos altos. É considerado por multidões o melhor DJ de todos os tempos, e alcunhado de “padrinho” pela comunidade da música eletrónica.

Como os mais apaixonados fãs sabem, o holandês nem sempre foi o mesmo. Há este mais comercial Tjis, e o “velho”, “trance god” Tjis. Nos seus dias de Trance, viveu os seus melhores dias musicalmente falando. Hinos como “Lethal Industry”, “Traffic”, “Adagio For Strings” e “Elements Of Life” cimentaram-se como intemporais, e colocaram DJ Tiësto no topo da montanha por muitos anos.

Lançada em 2001, “Lethal Industry” pertence ao primeiro álbum de Tjis, “In My Memory”. A reputação da faixa cresceu bastante com as performances ao vivo do DJ holandês ao lado do violinista compatriota Mason. A melodia icónica do tema e ainda hoje usada em mash-ups e remisturas em todo o planeta, tratando-se num estandarte da dance music.

The Spaceshifters – Lola’s Theme – 2004

Nostalgia. Nostalgia everywhere. Esta é tão popular que tu, caro leitor, certamente a ouviste. Lançado em 2004 este grande hit, da autoria dos The Spaceshifters, um duo britânico, ainda passa nas rádios e pistas de dança worldwide.

A inconfundível guitarrada desta faixa foi tirada de uma música de jazz de 1982, “What About My Love”, de Johnnie Taylor. Aposto que pensas que é a “Lola” que canta. Resposta errada. O nome dela é Cookie, uma cantora de gospel inglesa. Contudo, e eis um facto curioso, a mulher que dá nome à faixa, Lola, consiste na a ex-mulher de Simon Marlin, um dos Spaceshifters.

Underdog Project – Summer Jam – 2003

E porque o verão é a mais relaxada altura do ano, vamos terminar este nostálgico artigo com esta “Summer Jam”, da banda internacional The Underdog Project. A música é o lead single do álbum de estreia da banda, “It Doesn’t Matter”, de 2001.

Existem duas versões deste tema: a original, de 2001, e a sequela, de 2003. Esta última foi a que mais sucesso teve, devido ao som mais funky e veranil. A base da faixa vem do tema “Fiesta”, um single dos anos ’90 de um grupo de house holandês, os The Sunclub, e os vocais são de Vic Krishna e Craig Smart, dos Underdog Project.

Foi o hit número um em diversos países, e abriu caminho para outros singles também bastante conhecidos da banda, como “Tonight” e “Saturday Night”.

FIM

E assim terminamos esta lista. Podes agora voltar ao presente! Gostaste deste artigo? Achas que nos esquecemos de alguma faixa? Se sim, diz-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no nosso website. See you!

Leave a Reply

Your email address will not be published.