Introdução

Existem músicas que se tratam apenas de instant classics, e depois temos as que nunca cairão no esquecimento. Este artigo é dedicado às últimas. Neste caso, especificamente do início do milénio. Sou o Tomás Matos da Wide Future, e estou a convidar-te para uma pequena viagem pelo passado. Antes da descolagem, há duas premissas que é necessário reter: primeiro – o verbo “lembrar” vai ser repetidamente badalado – e segundo – isto não se trata de um top, as faixas estão apresentadas por ordem alfabética. Vamos lá!

Benny Benassi – Satisfaction – 2002

Push me, and then just touch me, ‘till I can get my… Satisfaction. É difícil falar em electro house sem mencionar esta faixa. A sua memorável melodia e os vocais sintetizados invadem, e continuam a invadir pistas de danças de todo o mundo.

Foi o single de estreia do DJ e produtor italiano Benny Benassi, tendo sido lançada no verão de 2002. Pertence ao também estreante álbum de Benassi “Hypnotica”. Esta malha projetou a carreira do italiano, hoje com 50 anos, e, na altura, atingiu a segunda posição nas charts do Reino Unido.

Daft Punk – One More Time – 2001

E quem não conhece esta? Lançada em 2001, é por muitos considerada a melhor faixa de eletrónica de todos os tempos. Trata-se do lead single da obra-prima mais aclamada dos Daft Punk, o álbum “Discovery”, que deu a conhecer ao mundo hinos como “Harder, Better, Faster, Stronger” e “Digital Love”.

Os vocais sintetizados do cantor norte-americano Romanthony e a sua fantástica melodia, fizeram da track um sucesso intemporal, que catapultou o duo francês para o estrelato. Ouçam-na One More Time, vá.

Darude – Sandstorm – 2000

Para os nossos leitores mais jovens, esta é um meme da internet. Contudo, os mais aficionados bem conhecem o impacto que esta faixa teve no início da primeira década do milénio. Lançada em 2000, da autoria do finlandês Darude, faz parte do seu álbum de estreia “Before The Storm”, e fez mossa nas charts europeias.

Considerara um autêntico hino do trance, vendeu milhões de cópias na altura, e, mais recentemente, ficou célebre devido a um irritante meme da comunidade de gaming online. A faixa, em pleno 2015, tornou-se tão viral que DJs começaram a incluí-la nos seus respetivos sets em festivais de renome. O holandês Mark Sixma até fez um remix “moderno” da faixa que fez um considerável furor. Numa também recente entrevista, Darude revelou que nunca presenciou realmente uma tempestade de areia, o que é um facto no mínimo curioso.

Eric Prydz – Call On Me – 2004

Quem se lembra desta? 2004 foi o ano de “descolagem” para o DJ e produtor sueco Eric Prydz. Foi esta a faixa que o popularizou, e apesar do distanciamento de Prydz dela (deixou de a tocar nos seus sets) marcou indubitavelmente a sua ilustre carreira.

Toda a canção se constrói à volta de uma sample de “Valerie”, de Steve Winwood, do ano de 1982. Quando o próprio Winwood ouviu o que Prydz fez de forma criativa, voltou a gravar a sample só para assentarem melhor no instrumental. Porém, não foi só o trabalho musical em si que celebrizou a faixa. O videoclip, que consiste numa aula de aeróbica, contribuiu em grande parte para o sucesso da obra.

Modjo – Lady (Hear Me Tonight) – 2000

Este épico tema foi o single de estreia do duo francês Modjo, que samplaram a faixa “Soup For One”, dos Chic, cujo guitarrista era, e ainda é nos tempos que correm, o lendário Nile Rodgers.

Fez muito sucesso e atingiu o top 10 nas charts em mais de dez nações. Contudo, os Modjo não aproveitaram tal sucesso. Lançaram mais uns quantos singles pouco mediáticos até 2002, e depois separaram-se para seguirem projetos a solo.

Rui da Silva feat. Cassandra – Touch Me – 2001

Esta é fenomenal. Lançada no dia 1 de janeiro de 2001, pelo DJ e produtor português Rui da Silva, com os vocais da cantora britânica Cassandra Fox, esta faixa tornou-se também num hit intemporal. Se és da geração de ’80, muito provavelmente a ouviste na adolescência. E se és português, de certeza que te lembras dos Underground Sound Of Lisbon, o lendário duo constituído por Rui da Silva e DJ Vibe.

Este single atingiu a posição número 1 nas charts do Reino Unido, vendendo mais de 300.000 cópias. É indubitavelmente o maior hit de Da Silva, que até aos dias de hoje, se trata do único artista português a atingir o #1 de vendas por terras de sua majestade. Muitos consideram “Touch Me” a melhor faixa eletrónica de sempre.

Safri Duo – Played-A-Live (The Bongo Song) – 2001

Esta certamente traz recordações. Um sensacional tema trance concebido pelo duo de percussão dinamarquês Safri Duo. Foi lançado no sétimo álbum de estúdio dos escandinavos, “Episode II”, e ficou popular entre as hostes europeias e globais, atingindo a primeira posição em algumas delas.

Devido a “Played-A-Live”, o álbum “Episode II” vendeu mais de um milhão de unidades, o que fez dos Safri Duo o artista/ato mais badalado da Dinamarca desde a banda Aqua (sim, os tipos de “Barbie Girl”). A fusão de percussões tribais com uma melodia trancy colocou esta faixa, a “bongo song”, no “museu” dos grandes hits da dance scene.

Tiësto – Lethal Industry – 2001

Não podíamos terminar a lista sem o icónico Tiësto. O astro holandês, agora com 48 anos de idade, ainda hoje está em voos altos. É considerado por multidões o melhor DJ de todos os tempos, e alcunhado de “padrinho” pela comunidade da música eletrónica.

Como os mais apaixonados fãs sabem, o holandês nem sempre foi o mesmo. Há este mais comercial Tjis, e o “velho”, “trance god” Tjis. Nos seus dias de Trance, viveu os seus melhores dias musicalmente falando. Hinos como “Lethal Industry”, “Traffic”, “Adagio For Strings” e “Elements Of Life” cimentaram-se como intemporais, e colocaram DJ Tiësto no topo da montanha por muitos anos.

Lançada em 2001, “Lethal Industry” pertence ao primeiro álbum de Tjis, “In My Memory”. A reputação da faixa cresceu bastante com as performances ao vivo do DJ holandês ao lado do violinista compatriota Mason. A melodia icónica do tema e ainda hoje usada em mash-ups e remisturas em todo o planeta, tratando-se num estandarte da dance music.

The Spaceshifters – Lola’s Theme – 2004

Nostalgia. Nostalgia everywhere. Esta é tão popular que tu, caro leitor, certamente a ouviste. Lançado em 2004 este grande hit, da autoria dos The Spaceshifters, um duo britânico, ainda passa nas rádios e pistas de dança worldwide.

A inconfundível guitarrada desta faixa foi tirada de uma música de jazz de 1982, “What About My Love”, de Johnnie Taylor. Aposto que pensas que é a “Lola” que canta. Resposta errada. O nome dela é Cookie, uma cantora de gospel inglesa. Contudo, e eis um facto curioso, a mulher que dá nome à faixa, Lola, consiste na a ex-mulher de Simon Marlin, um dos Spaceshifters.

Underdog Project – Summer Jam – 2003

E porque o verão é a mais relaxada altura do ano, vamos terminar este nostálgico artigo com esta “Summer Jam”, da banda internacional The Underdog Project. A música é o lead single do álbum de estreia da banda, “It Doesn’t Matter”, de 2001.

Existem duas versões deste tema: a original, de 2001, e a sequela, de 2003. Esta última foi a que mais sucesso teve, devido ao som mais funky e veranil. A base da faixa vem do tema “Fiesta”, um single dos anos ’90 de um grupo de house holandês, os The Sunclub, e os vocais são de Vic Krishna e Craig Smart, dos Underdog Project.

Foi o hit número um em diversos países, e abriu caminho para outros singles também bastante conhecidos da banda, como “Tonight” e “Saturday Night”.

FIM

E assim terminamos esta lista. Podes agora voltar ao presente! Gostaste deste artigo? Achas que nos esquecemos de alguma faixa? Se sim, diz-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no nosso website. See you!

About The Author

Staff

All of the article posted with this account are written by contributes and guest writers, If you wish to see your article featured email us at info@widefuture.com with the header "Guest Writer"

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.